Taxa SELIC caiu para 5% ao ano. E eu com isso?

Já ouviu uma expressão do tipo “o Comite de Política Monetária (COPOM) decidiu que a taxa SELIC deve cair para 5% este ano”? Nesse momento, você soube o que isso significava, na prática, pra você? se a resposta for “não”, fique tranquilo, iremos elucidar um pouco melhor. 

ANÚNCIO

É muito comum os jornais falarem de siglas e taxas como se toda a população soubesse exatamente do que se trata e são tantas siglas e taxas que fica fácil se perder, não é verdade?

É IPCA, SELIC e tantas outras siglas, mas, na hora de pagar as contas, fazer as compras ou, simplesmente, na hora de ir ao cinema com a(o) crush, o que essas taxas e siglas interferem? 

SELIC
Fonte: Imagem Internet

E quando se quer realizar investimentos, abrir o próprio negócio, isso influencia? Ou é só mais uma taxa para as megas empresas?

O que a SELIC?

Mas, antes de qualquer coisa, que “diabos” é a taxa SELIC? De onde veio esse nome? O que ele significa? Por que constantemente se ouve falar dela e das alterações que determinam nela?

A taxa SELIC (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) é a taxa básica de juros da economia, ou seja, é o principal instrumento do Banco Central (BC) na hora de controlar a inflação (IPCA, por exemplo). Ela tem influência em todas as taxas de juros, financiamentos e aplicações financeiras.

A taxa de inflação é o quanto seu dinheiro desvalorizou no tempo, por exemplo, há 10 anos uma coca-cola de 2L era, mais ou menos, uns R$ 2,00. Atualmente, uma coca-cola está uns R$ 7,00 ou mais.

A inflação é causada pelo aumento de dinheiro no mercado, segue mais ou menos a mesma lógica de oferta e demanda. Se tem muita “oferta” de dinheiro, o “preço” dele cai, o valor de venda dele cai. Se as taxas de juros nos bancos aumentam, a oferta de dinheiro diminui, a inflação cai.

A taxa SELIC é a taxa de juros apurada nas operações de empréstimos de um dia entre as instituições financeiras que usam títulos públicos federais como garantias. O BC opera no mercado de títulos para que a SELIC efetiva esteja alinhada com a meta estipulada pelo COPOM.

Resumindo, é um sistema utilizado pelo Banco Central para que haja controle na emissão, compra e venda de títulos. É calculada pela média ponderada dos juros praticados pelas instituições financeiras.

Beleza, e dai? No que vai mudar minha vida

Agora, no que isso influencia a vida do dia a dia? Como dito antes, quando a taxa SELIC sobe, os juros sobem, acaba ficando mais complicado utilizar crédito do banco, juros do cartão ficam mais altos, etc.

Taxa SELIC alta, significa que você vai ter mais dificuldade de conseguir financiar aquele carro zero que ta namorando há alguns meses. Se tiver problema em pagar o cartão de crédito, taxa SELIC mais alta significa que sua dívida vai ficar ainda maior (e olha que a taxa de cartão já é absurdamente alta, naturalmente)

Se for investidor, é bom ficar ainda mais atento à taxa SELIC na hora de escolher qual investimento irá fazer. Para o título indexado a ela, o LFT, quanto mais alta ela estiver, maior a rentabilidade dele, e quanto mais baixa, menor a rentabilidade dele.

No caso da poupança, há duas situações possíveis. Caso a SELIC esteja maior que 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% ao mês + a Taxa Referencial (TR). Caso a SELIC esteja menor, ou igual, a 8,5% a poupança rende 70% da taxa SELIC.

O CDI e a taxa SELIC tendem a caminhar juntos, no sentido de possuírem uma taxa muito próxima, uma da outra. 

Outro ponto a se destacar, é que, baixa taxa SELIC significa baixa taxas de juros, ou seja, o consumo é incentivado. Aprovar o financiamento daquele carro fica mais fácil e as prestações ficam menores.

Alta taxa SELIC, diminui a inflação, mas desestimula o consumo, o que pode gerar um aumento na taxa de desemprego. Em ambos os casos, há lados positivos e negativos, pelo menos agora, você vai ter uma noção melhor do que acontece quando o COPOM decide mexer na taxa SELIC.