O ex-policial Derek Chauvin, acusado pela morte de George Floyd, libertado sob fiança de US $ 1 milhão

ANÚNCIO
Derek Chauvin
Foto: Reprodução/internet

Derek Chauvin, 44, que enfrenta acusações de assassinato e homicídio culposo na morte de Floyd em 25 de maio, saiu da prisão de Oak Parks Heights na quarta-feira após postar a fiança pesada.

Chauvin, que estava atrás das grades por mais de quatro meses, foi o último dos quatro policiais de Minneapolis acusados ​​no caso de alto perfil a permanecer na prisão até o julgamento.

ANÚNCIO

O vídeo viral do encontro fatal de Floyd com a polícia no Memorial Day gerou indignação em todo o mundo e protestos maciços do Black Lives Matter.

A filmagem mostra os policiais prendendo um Floyd algemado no chão do lado de fora de uma loja de conveniência na East 38th Street e Chicago Avenue, na cidade de Minnesota, depois que ele supostamente tentou passar uma nota de $ 20 falsificada.

Chauvin é visto pressionando o joelho na nuca de Floyd por quase oito minutos, apesar de seus apelos repetidos de “Não consigo respirar“.

ANÚNCIO

Chauvin e os três outros oficiais – J. Alexander Kueng, Thomas Lane e Tou Thao – foram demitidos e acusados ​​após o incidente.

Leia também: Turquia preparada para testar mísseis russos S-400 que causaram polêmica nos Estados Unidos

Kueng, Lane e Thao são acusados ​​de ajudar e encorajar homicídio de segundo grau e auxiliar e cumplicar homicídio de segundo grau.

Todos os três foram libertados sob fiança antes do julgamento.

Um advogado de Lane alegou que Floyd morreu devido a uma overdose de fentanil, não devido à contenção policial.

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fonte: New York Post

ANÚNCIO