Resíduos de coronavírus encontrados em embalagens de frutos do mar congelados na China

ANÚNCIO

Resíduos vivos do coronavírus foram encontrados em embalagens de frutos do mar congelados em uma cidade chinesa que recentemente sofreu um surto da doença mortal, disseram autoridades de saúde do governo.

Resíduos de coronavírus encontrados em embalagens de frutos do mar congelados na China
Foto: (reprodução/internet)

A descoberta foi feita em meio a uma investigação sobre o recente grupo de casos COVID-19 em Qingdao.

ANÚNCIO

Foi confirmado que o contato com embalagens externas contaminadas pelo novo coronavírus pode causar infecção”, disse o Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) em um comunicado.

O relatório não sugere que qualquer pessoa tenha contraído o vírus da embalagem de bacalhau congelado, que veio de um país estrangeiro não especificado.

A Organização Mundial da Saúde afirma que “não é necessário desinfetar os materiais de embalagem de alimentos” – embora as autoridades enfatizem que você deve lavar bem as mãos após manusear alimentos congelados e suas embalagens.

ANÚNCIO

A China foi um dos únicos países que sugeriu que o vírus mortal pode ser transmitido por meio de alimentos congelados

Autoridades disseram que um surto em Pequim neste verão pode ter sido causado pelo salmão importado.

Leia também: China aumenta punições para laboratórios que escondem doenças infecciosas

Até o surto mais recente, a China não relatava nenhum novo caso de coronavírus em quase dois meses. Autoridades afirmam que dois estivadores teriam infectado uma dúzia de pessoas em um hospital.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos afirmm em seu site que “pode ser possível que as pessoas consigam COVID-19 tocando em uma superfície ou objeto, como uma embalagem de comida ou louça de jantar que contenha o vírus e, em seguida, tocando sua própria boca, nariz ou possivelmente seus olhos.”

“No entanto, esta não é considerada a principal forma de propagação do vírus.”

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fontes: New York Posts

ANÚNCIO