Kim Jong Un diz que a Coreia do Norte mobilizará força nuclear se ameaçada

ANÚNCIO

Kim Jong Un, da Coreia do Norte, não conseguiu conter as lágrimas ao fazer um discurso emocionado durante um enorme desfile militar realizado antes do amanhecer de sábado para marcar o 75º aniversário da fundação do país.

Kim Jong Un
Foto: Reprodução/internet

O corpulento déspota começou a choramingar quando agradeceu ao “grande povo” da Coreia do Norte por “zero” casos de COVID-19.

ANÚNCIO

Desejo boa saúde a todas as pessoas ao redor do mundo que estão lutando contra os males do vírus maligno”, disse Kim.

Leia também: Mossad, Shin Bet investigando grande hack de cripto-CEOs

David Maxwell, um especialista da Coreia do Norte na Fundação para a Defesa das Democracias, disse ao Post: “Eu não seria enganado pelas emoções de Kim”.

O resultado final é que este desfile foi para demonstrar as capacidades militares e estabelecer as bases para uma futura chantagem diplomática contra a Coreia do Sul e os EUA para concessões após as eleições de novembro”, continuou ele.

ANÚNCIO

Falando da Praça Kim Il Sung de Pyongyang, Kim disse que “mobilizaria totalmente” a força nuclear de seu país se fosse ameaçado quando comparecesse à grande celebração logo após a meia-noite de sábado.

Seu discurso foi menos estridente do que nos anos anteriores, no entanto. Kim não criticou diretamente os EUA e, em vez disso, exortou os cidadãos a permanecerem firmes, apesar de enfrentarem “desafios tremendos” do COVID-19 e das duras sanções dos EUA, informou a Assocated Press.

Não acho que ele queira envergonhar Trump antes da eleição”, disse SeanKing, um especialista asiático da Park Strategies, ao Post. “Ele está mostrando que tem o ICBM, mas não o está testando porque Trump deixou claro que um ICBM ou outro teste nuclear é sua linha vermelha.

King acrescentou: “Trump é o único presidente dos EUA que se sentará com um líder norte-coreano. Trump é muito bom para Kim e Kim investiu muito em Trump. Se Biden vencer, Kim terá que começar tudo de novo.

Kim exibiu outros hardwares, incluindo um míssil balístico lançado por submarino e a versão da Coréia do Norte do míssil balístico de curto alcance Iskander da Rússia em uma transmissão em fita na televisão estatal norte-coreana, informou a agência de notícias Yonhap na Coréia do Sul.

A TV estatal norte-coreana também exibiu imagens de soldados marchando em passos de ganso marchando nas ruas em frente à praça bem iluminada enquanto uma banda militar se apresentava em formação.

Dezenas de milhares de espectadores, assim como os artistas, soltaram um rugido coletivo quando Kim apareceu assim que o relógio bateu meia-noite. 

Usando um terno cinza e gravata e ladeado por assessores, Kim acenou para a multidão e beijou as crianças que lhe trouxeram flores, disse a AP. 

Ele também disse esperar que o país consiga restaurar os laços bilaterais com a Coréia do Sul assim que a pandemia acabar.

Fique por dentro: James Packer aliado de Bibi ameaça usar conexões do Mossad para negócios

Nenhum dos participantes usava máscara, relatou o Wall Street Journal.

A afirmação de Kim de que a Coreia do Norte não tem COVID-19 foi questionada por analistas externos.

Vários especialistas da Coreia do Norte disseram que era incomum realizar um desfile militar antes do amanhecer, mas eles só podiam especular sobre o porquê – dizendo que era possível que os norte-coreanos quisessem a cobertura da escuridão para proteger certos detalhes sensíveis sobre algumas das armas que foram lançadas.

O aniversário deste ano ocorre em meio a um impasse nas negociações nucleares com o governo Trump e uma economia em declínio.

Kim e Trump se encontraram três vezes desde que embarcaram na diplomacia nuclear de alto risco em 2018, mas as negociações não levaram a lugar nenhum por causa de desacordos sobre as medidas de desarmamento e a remoção das sanções impostas ao Norte.

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fonte: New York Post

ANÚNCIO