Uma pessoa morre de COVID-19 a cada 17 segundos na Europa, alerta OMS

ANÚNCIO

Uma pessoa na Europa é morto pelo coronavírus a cada 17 segundos, enquanto o continente ressurge como um epicentro da pandemia mortal, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Uma pessoa morre de COVID-19 a cada 17 segundos na Europa, alerta OMS
Foto: (reprodução/internet)

OMS afirma

“A Europa é responsável por 28% dos casos globais e 26% das mortes cumulativamente na região”, disse Hans Kluge, diretor regional europeu da OMS, na quinta-feira, relatou o Telegraph.

ANÚNCIO

“Na semana passada, a Europa registrou mais de 29.000 novas mortes de COVID-19. Isso significa que uma pessoa morre a cada 17 segundos.”

Leia também: EUA atinge 250.000 mortes de COVID-19

Kluge disse que o número de mortes pelo vírus aumentou em 18% no continente na semana passada, mas acrescentou que novas medidas tomadas pelos governos europeus parecem estar funcionando – com o número total de casos semanais caindo pela primeira vez em três meses.

ANÚNCIO

Novas infecções semanais caíram 10% na semana passada – para 1,8 milhão – com várias nações, incluindo França, Espanha e Reino Unido, impondo novos bloqueios em face de um ressurgimento.

No entanto, a OMS alertou sobre o levantamento prematuro das novas restrições em meio a pressões políticas para fazê-lo.

Fique por dentro: Joe Biden completa 78 anos hoje e se tornará o presidente mais velho dos Estados Unidos

“Estamos vendo sinais crescentes relacionados a sistemas de saúde sobrecarregados com relatos de que na França, por exemplo, as unidades de terapia intensiva estão com mais de 95% da capacidade há 10 dias”, disse Kluge.

“Já ocorreram mais de 15,7 milhões de casos de COVID-19 e quase 355.000 mortes relatadas à OMS, com mais de 4 milhões de casos a mais somente em novembro na região europeia da OMS”, disse ele. “Temos as ferramentas para ir atrás do vírus, não as pessoas.”

Veja também: Geórgia termina a recontagem eleitoral de 2020, afirma Joe Biden venceu o estado

O vírus infectou mais de 56 milhões de pessoas em todo o mundo e matou mais de 1,3 milhão, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

Nos Estados Unidos, mais de 11,5 milhões contraíram o vírus, que matou 250.000 americanos – incluindo um em cada 1.000 residentes em Dakota do Norte, de acordo com um relatório.

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fonte: New York Post

ANÚNCIO