Tóquio planeja despejar resíduos nucleares de Fukushima no oceano

ANÚNCIO

O governo japonês está avançando com planos para liberar a água contaminada da usina nuclear de Fukushima no Oceano Pacífico, informaram a mídia local na sexta-feira.

usina Fukushima
Foto: (reprodução/internet)

A usina de Fukushima experimentou um derretimento triplo em março de 2011 depois que um terremoto de magnitude 9,0 e um tsunami devastaram a área ao redor da usina, localizada na região central do Japão, na ilha da costa leste de Honshu.

ANÚNCIO

Leia também: Boris Johnson diz à Grã-Bretanha ‘se preparem para o Brexit sem acordo’

A água usada para resfriar o combustível nuclear derretido do acidente de 2011 foi armazenada em tanques nas instalações da usina desde então.

Antes de a água ser armazenada, a “Tokyo Electric Power Co. [TEPCO], a operadora da planta, trata a água contaminada usando equipamentos chamados de sistemas avançados de processamento de líquidos, ou ALPS”, de acordo com o japonês Asahi Shimbun.

[A] cerca de 1,2 milhão de toneladas de água processada estão sendo armazenadas em tanques [atualmente] e a TEPCO estimou que a capacidade dos tanques será atingida até o verão de 2022, mesmo com o plano atual de construir mais tanques”, observou o jornal .

ANÚNCIO

Como são necessários cerca de dois anos para construir o equipamento necessário para descartar a água contaminada e passar na triagem da Autoridade de Regulamentação Nuclear, uma decisão sobre o descarte da água era esperada para este verão.

O governo central do Japão provavelmente realizará uma reunião de ministros relevantes antes do final de outubro para tomar uma decisão formal sobre o dumping”, fontes supostamente disseram ao  Asahi Shimbun.

O ministro da Economia, Comércio e Indústria do Japão, Kajiyama Hiroshi, pareceu apoiar essa afirmação na sexta-feira. De acordo com a NHK, emissora nacional do Japão, Kajiyama disse aos repórteres que “o trabalho para considerar várias opiniões e chegar a uma conclusão” sobre o descarte de lixo nuclear “está em andamento”.

Ele acrescentou que “o governo conduzirá novas discussões e chegará a uma conclusão de maneira responsável”, mas que “o momento específico ainda não foi decidido”.

O Ministério da Economia do Japão organizou um “subcomitê de especialistas” há vários meses para compilar uma proposta para o descarte da água contaminada, de acordo com o Asahi Shimbun

Este painel disse em fevereiro que “duas alternativas realistas eram despejar a água no oceano ou liberá-la na atmosfera.”

“O painel acrescentou que despejar a água no oceano era o método que poderia ser implementado com certeza.

O governo japonês “planeja usar o ALPS para um segundo processamento para reduzir os níveis de todos os materiais radioativos, exceto o trítio, um isótopo moderadamente radioativo de hidrogênio, sob os padrões legais” antes de despejar a água no oceano, de acordo com o relatório.

O governo diz que vai diluir a água contaminada com água do mar para reduzir os níveis de trítio abaixo dos padrões legais.

Fique por dentro: Japão revela submarino de ataque enquanto aumentam as tensões com a China

Tóquio diz que planeja monitorar os efeitos ambientais no oceano ao largo da costa de Fukushima depois que a água for descartada.

O governo central prometeu divulgar informações sobre suas descobertas.

Os pescadores de Fukushima se opuseram veementemente à proposta de despejar a água contaminada no oceano, argumentando que isso diminuiria a confiança do consumidor na captura local e ameaçaria seriamente sua subsistência.

A federação nacional de cooperativas de pesca do Japão, JF Zengyoren, emitiu um comunicado em junho dizendo que era “absolutamente contra” qualquer método de descarte que não recebesse total aceitação pública.

O presidente de JF Zengyoren, Kishi Hiroshi, se reuniu com o ministro das Finanças japonês, Kajiyama Hiroshi, para reiterar sua oposição ao plano em 15 de outubro.

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fonte: Breitbart

ANÚNCIO