Homens suspeitos de praticar golpes com máquinas de cartão de crédito são presos no Piauí

Dois homens foram presos como suspeitos de vender máquinas de cartão de crédito pela internet sem nunca entregar o produto.

ANÚNCIO

Na última quinta-feira (22), dois homens foram presos após uma denúncia de empresários que compraram máquinas de cartão de crédito que nunca chegaram. A prisão aconteceu no bairro Saci, no sul de Teresina, e o prejuízo foi de cerca de R$ 6 mil para cada um.

Homens suspeitos de praticar golpes com máquinas de cartão de crédito são presos no Piauí
Foto: (reprodução/internet)

Um panorama da situação

A armadilha do “golpe da maquineta”, como é também conhecida, pode acontecer quando uma ou mais pessoas diz vender máquinas de cartão de crédito e, depois de receber o dinheiro, não entregam as máquinas. As compras são feitas, portanto, on-line, de forma que, no ato da compra, não é possível levar o produto para casa.

No infeliz caso que ocorreu com dois empresários de Teresina, os suspeitos do crime informaram ser gerentes de expansão de uma empresa. Isso foi o bastante para enganar os empresários, que tiveram uma perda estimada em R$ 6 mil cada.

O major Audivam Nunes, que atuou no caso, forneceu algumas informações importantes à imprensa. A força tarefa da SSP disse que os suspeitos de aplicar o golpe eram Rafael Oliveira Cavalhedo e André Alisson de Sousa Lima Pimentel.

O major contatou a empresa que fornecia as máquinas, mas não havia nenhum contrato empregatício entre a empresa e a dupla. Audivam, depois do contato, comunicou: “Eles falavam que eram funcionários dessa empresa (de máquinas de cartão); eles realmente trabalharam lá, mas foram desligados porque vendiam as máquinas, mas o dinheiro não chegava à empresa, nem os equipamentos aos clientes.”

O que aconteceu em seguida?

Há uma forte suspeita de que a dupla praticou esse tipo de crime tanto em Teresina quanto no interior do Piauí. Os presos foram autuados por crime de estelionato, e em seguida passaram pelo 3º Distrito Policial e pela Central de Flagrantes de Teresina.

O major Audivam Nunes ainda disse: “Os estelionatários vendiam as máquinas a juros menor que o normal, até sem nenhum juros para conseguir vender as maquinetas. Os empresários demoraram a receber os produtos. Eles só diziam que estavam chegando, e nisso um dos empresários desconfiou.”

Foram duas vítimas identificadas até o momento. Uma delas é um empresário dono de uma barbearia, e a outra é o proprietário de um posto de gasolina. No contato com a imprensa, ainda foi informado que o dono do posto de gasolina comprou umas cinco maquinetas, obtendo, por fim, um prejuízo de cerca de R$ 6 mil.

Como evitar esse tipo de golpe?

É sempre interessante saber que tipo de produto a pessoa compra e quem é o vendedor. Comprar pela internet tem a desvantagem de não permitir que o comprador dê uma olhada no produto antes da compra, por exemplo.

Mas muitas vezes as ofertas na internet são mais satisfatórias, chamam mais a atenção. É preciso procurar por lojas credenciadas, com um alto índice de satisfação — o que pode ser verificado em sites como o ReclameAqui —, mecanismos de compra segura na página — aqueles selos que, para garantir a segurança, não podem ser uma só imagem, mas sim um link autêntico — e, se a desconfiança permitir, conversar com pessoas que compraram o produto para se ter uma ideia de que resultado esperar.