Paquistão reverte proibição de TikTok após promessa de proprietários chineses de censurar ‘obscenidade’

ANÚNCIO

A Autoridade de Telecomunicações do Paquistão (PTA) disse na segunda-feira que iria reverter a proibição do aplicativo de compartilhamento de vídeo TikTok – anunciado há dez dias em 9 de outubro – depois que os proprietários chineses do aplicativo se comprometeram a moderar o conteúdo de acordo com a lei paquistanesa.

aplicativo tiktok no celular
Foto: (reprodução/internet)

TikTok está sendo desbloqueado após a garantia de gestão que irá bloquear todas as contas repetidamente envolvidos na divulgação obscenidade e imoralidade”, o PTA disse em um comunicado compartilhado nas redes sociais.

ANÚNCIO

O regulador havia dito anteriormente em 9 de outubro que iria proibir o TikTok no Paquistão, após queixas de que o aplicativo hospedava conteúdo “imoral” e “indecente”.

Antes do anúncio, o PTA avisou os proprietários do TikTok que consideraria banir o aplicativo se ele não fizesse alterações para impor uma moderação de conteúdo mais rígida dentro do país islâmico.

O Paquistão promulgou uma lei de segurança cibernética em 2016 para regular o conteúdo da Internet. A lei “deu às autoridades poder para bloquear uma série de conteúdo por uma série de razões – inclusive no ‘interesse da glória do Islã ou da integridade, segurança ou defesa do Paquistão’”, segundo a CNN.

ANÚNCIO

O presidente do PTA, Amir Azeem Bajwa, informou o Comitê Permanente de Tecnologia da Informação do Senado do Paquistão na segunda-feira sobre o status do TikTok.

Ele disse ao comitê que a administração da TikTok alegou ter bloqueado aproximadamente “25.000 contas de origem paquistanesa e cerca de quatro milhões de vídeos” nos últimos três meses em resposta às preocupações do PTA.

Bajwa disse que a TikTok havia garantido ao Paquistão um investimento de cerca de meio milhão de dólares americanos para moderação de conteúdo. Seria usado para empregar um software de inteligência artificial (IA), bem como recursos humanos no Paquistão para esse propósito [ sic ] ”, relatou o jornal paquistanês Dawn na segunda-feira.

O PTA disse que concordou em restaurar os serviços da TikTok com a condição de que “a plataforma não seja usada para a disseminação de conteúdo vulgar / indecente e que os valores sociais [do Paquistão] não sejam abusados”.

O regulador de telecomunicações garantiu ao público paquistanês em um comunicado que “seria obrigado a bloquear permanentemente o aplicativo caso a referida condição não fosse cumprida”.

A TikTok é propriedade da empresa chinesa ByteDance. De acordo com dados da Sensor Tower, o aplicativo foi instalado cerca de 43 milhões de vezes no Paquistão, incluindo 14,7 milhões de vezes este ano, tornando o país o 12º maior mercado da TikTok.

A Índia, vizinha do Paquistão, baniu o TikTok em 29 de junho, alegando preocupações com a privacidade de dados. Nova Delhi também baniu 58 outros aplicativos baseados na China por razões semelhantes, dizendo que eles ameaçavam a segurança nacional da Índia.

Veja também: Irlanda é o 1º país do mundo a entrar novamente em lockdown

As crescentes tensões diplomáticas e econômicas entre a Índia e a China influenciaram a proibição. 

As duas nações compartilham uma fronteira não marcada no oeste do Himalaia, onde estão envolvidos em um impasse mortal desde 15 de junho.

O Paquistão, ao contrário da Índia, mantém laços estreitos com a China por meio da Belt and Road Initiative de Pequim.

O projeto de construção de infraestrutura permite que a China exerça influência no Paquistão como o principal investidor do país em desenvolvimento.

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fontes: BreitBart

ANÚNCIO