O primeiro voluntário de vacina contra o coronavírus de Israel deixa o hospital em alto astral

ANÚNCIO
O primeiro voluntário de vacina contra o coronavírus de Israel deixa o hospital em alto astral
Foto: (reprodução/internet)

O primeiro voluntário para a nova vacina contra o coronavírus de Israel foi liberado do hospital 

Após receber a dose inicial em testes em humanos, o primeiro paciente saiu do hospital dizendo que se sentia “ótimo” e esperava que “todo o mundo” logo se beneficiasse da vacina israelense.

Veja também: Explosão do Porto de Beirute, no Líbano, dá origem a centenas de processos

ANÚNCIO

Quinze milhões de injeções da vacina, chamada Brilife, já estão sendo produzidas pelo Instituto de Pesquisa Biológica de Israel, administrado pelo Ministério da Defesa.

“Olá a todos, bom dia, obrigado a todos por seu apoio”, disse Segev Harel após ser liberado do Centro Médico Sheba em Ramat Gan no domingo, relatou o The Times of Israel .

“Estou aqui depois de passar a noite no Sheba Medical, e agora estou indo para casa e me sinto ótimo, e espero que levemos a vacina para Israel e para o mundo inteiro.”

ANÚNCIO

Fique por dentro: FBI investigando Hunter Biden sobre alegações de lavagem de dinheiro

Eytan Ben-Ami, um médico Sheba que conduziu o ensaio, disse ao jornal: “O primeiro paciente foi mantido no hospital por 24 horas para observá-lo em caso de quaisquer efeitos adversos e não houve nenhum.”

“Tudo tem sido muito bom. É muito no início do processo, mas até agora, tudo está indo de acordo com o planejado.”

Um segundo voluntário que foi inoculado também relatou sentir-se bem e não apresentou sintomas ou efeitos colaterais.

A primeira fase do ensaio clínico durará aproximadamente um mês e envolverá cerca de 80 voluntários saudáveis ​​com idades entre 18 e 55 anos, disse o relatório.

Leia também: Rússia oferece residência permanente para Snowden

A segunda fase, que começa em dezembro, vai vacinar cerca de 1.000 voluntários com idades entre 18 e 85 anos em oito hospitais em todo o país. Esta fase também permitirá a participação de voluntários com condições pré-existentes.

Se essa fase correr bem e os anticorpos forem detectados no sangue dos voluntários, a vacinação será aplicada a cerca de 30.000 pessoas em abril ou maio de 2021. 

Em seguida, receberá a aprovação para uso geral em julho.

Em maio, o IIBR ganhou as manchetes em todo o mundo por isolar um anticorpo que neutraliza o vírus COVID-19.

 

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fonte: Breitbart

ANÚNCIO