Explosão em escola religiosa do Paquistão deixa vários mortos e 136 feridos

ANÚNCIO
jovem atingido por explosão em escola no paquistão
Foto: (reprodução/internet)

Em uma cidade do Paquistão, pelo menos oito estudantes morreram e 136 ficaram feridos quando uma explosão massiva atingiu um seminário islâmico na terça-feira, disseram autoridades locais.

Fique por dentro: EUA dominam instituto russo para ataque a computadores

O bombardeio na escola na cidade de Peshawar, explodiu quando o religioso xeque Rahimullah deu uma palestra sobre os ensinamentos do Islã, disseram policiais

O vídeo compartilhado pela polícia captura o momento horrível em que a explosão ensurdecedora ocorre quando Rahimullah fala na frente de uma câmera, derrubando a câmera enquanto a fumaça enche a sala.

ANÚNCIO

O oficial local Waqar Azim disse que as investigações preliminares sugerem que a bomba explodiu minutos depois que alguém abandonou uma bolsa na madrassa, ou escola religiosa islâmica.

Imagens de TV das consequências mostram o salão principal do seminário destruído pela explosão com vidros quebrados espalhados e um tapete manchado de sangue.

Pelo menos 11 quilos de explosivos foram usados ​​no ataque, de acordo com a polícia.

As autoridades disseram que vários dos estudantes feridos estavam em estado crítico e que os funcionários do hospital temiam que o número de mortos aumentasse.

ANÚNCIO

Entre os feridos também estavam alguns professores e funcionários do seminário.

A madrassa é principalmente para estudantes adultos e muitos estavam estudando na época da explosão, disse o morador da cidade Abdul Rahim, que observou que seu primo de 27 anos estava entre os feridos.

Inicialmente, a polícia disse que a explosão matou e feriu crianças que estudavam na escola, mas depois revisou esse relato para dizer que os alunos estavam na casa dos 20 anos.

Um estudante ferido, Mohammad Saqib, 24, falando de uma cama de hospital, disse que o erudito religioso Rahimullah estava explicando versos do Alcorão quando a bomba explodiu.

“Alguém me ajudou e me colocou em uma ambulância e eu fui levado ao hospital”, disse Saqib, que foi listado em condição estável.

Outra testemunha, Saeed Ullah, 24, disse que 500 alunos estavam dentro do salão principal do seminário no momento da explosão.

Enquanto isso, o primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, condenou o ataque.

“Quero garantir à minha nação que garantiremos que os terroristas responsáveis ​​por este ataque bárbaro covarde sejam levados à justiça”, prometeu Khan.

Traduzido e adaptado por equipe Folha BR
Fonte: New York Post

ANÚNCIO