Bitcoin tem pior desempenho desde setembro

Na semana passada, o Bitcoin despencou 15% protagonizando sua maior baixa semanal desde o mês de setembro. O desempenho negativo veio após burburinho no Twitter sobre a regulamentação do criptativo. 

Com esse resultado, alguns especialistas no mercado de moedas digitais recomendaram cautela em razão da volatilidade do Bitcoin. Também, analistas chamaram a atenção do público sobre o otimismo com o ativo. 

Bitcoin tem pior desempenho desde setembro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Bitcoin é afetada por publicação no Twitter 

Após a BitMEX Research, companhia do exterior que monitora o Bitcoin, publicar no Twitter um relatório sinalizando ter ocorrido um erro no sistema blockchain. O suposto equívoco teria colaborado para uma negociação dupla da criptomoeda. 

Depois da publicação, o analista Kyle Rodda, da IG Markets, afirmou que o público não gostaria de pensar demais em um mercado tão imaturo e ineficiente, se referindo aos ativos digitais. 

Com esse cenário, o Bitcoin sofreu perda de 15% após a BitMEX Research, companhia que monitora o Bitcoin, publicar no Twitter um relatório sinalizando ter ocorrido um erro no sistema blockchain. O suposto equívoco teria colaborado para uma negociação dupla da criptomoeda nas últimas horas. 

Erro no blockchain chama atenção

A desvalorização da moeda não é vista desde o ano passado. A criptomoeda chegou a ser negociada mais de 20% inferior à máxima atingida 15 dias atrás, de US$ 42 mil. 

Atualmente, o maior medo dos investidores nesse mercado é a rigidez da regulamentação. Assim, uma eventual duplicidade de negociação pode chamar a atenção dos órgãos reguladores de capitais, o que pode afetar negativamente as transações. 

Especialistas temem alta demanda por Bitcoin 

Apesar da recente queda do Bitcoin, a moeda se destacou no último ano com a disparada na demanda de investidores. Isto porque o ativo se tornou uma opção para o público que procurava investimentos com maior retorno financeiro. 

Bitcoin tem pior desempenho desde setembro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Na crise econômica, a criptomoeda se recuperou rapidamente e voltou a oferecer rendimento de forma mais célere que as demais aplicações do mercado. Entretanto, a gestora brasileira de Bitcoin Hashdex afirmou que é necessário ter cautela mesmo com a valorização do ativo. 

O cuidado ao investir no Bitcoin é justificado pelo crescimento da procura pela aplicação e pelo alto valor de investimento feito pelos gestores. A baixa de 15% da moeda fez os especialistas lembrarem que ainda trata-se de um ativo altamente volátil

Gestora de Bitcoin aconselha investidores

Segundo a Hashdex, é necessário ter paciência e equilíbrio quando o assunto é Bitcoin. O avanço do preço da moeda pode ser tentador devido à rápida obtenção de lucro e ao crescimento acelerado. Mas, o ideal é alocar um montante baixo para esse investimento e pensar nos rendimentos a longo prazo. 

Para este momento o aconselhável seria equilibrar o Bitcoin com investimentos como o ouro, por exemplo. Para a empresa, não é necessário escolher entre uma opção ou outra já que elas podem se complementar. 

O investimento simultâneo em ouro e na criptomoeda pode ser atrativo, já que os bancos centrais mundiais intensificaram a emissão de moedas gerando medo sobre o futuro da inflação.

Como funciona o Bitcoin?

O Bitcoin é uma moeda digital que compõe o grupo de investimentos de renda variável. Logo, por ser um produto virtual, toda a transação do ativo é feita online. 

Bitcoin tem pior desempenho desde setembro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Da mesma forma, por não ser uma moeda emitida pelos bancos centrais, o Bitcoin não responde à regulamentação do dinheiro tradicional. Por um lado, isso dá uma maior flexibilização nas negociações, mas por outro lado, gera insegurança nas negociações. 

Atualmente, todas as transações e informações de cada movimentação feita pelo investidor nesta moeda ficam registradas na plataforma blockchain. Esse sistema é o mecanismo que oferece uma mínima segurança a este mercado, pois ele rastreia o envio e recebimento das informações. 

O que aumenta o preço do Bitcoin?

Assim como outras moedas do mercado, o Bitcoin é passível de oscilações diárias e se movimenta conforme a procura do investidor. Isto é, quanto mais pessoas investindo neste ativo, maior será o seu valor. 

No entanto, diferente de outras moedas como Dólar e o Real por exemplo, o Bitcoin sofre uma volatilidade acentuada como a que aconteceu nas últimas semanas, de queda de 15%. 

Apesar da baixa, existe a estimativa de que o incentivo econômico de US$ 3 trilhões do atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, impulsione o preço do Bitcoin. Saiba mais sobre o assunto neste link