A volta da CPMF pode impactar o setor de cartões de crédito

Nova proposta de reforma tributária (CPMF) será imposta pelo governo e pode afetar a indústria dos cartões de crédito.

A indústria do cartão de crédito movimentou cerca de 850 bilhões de reais, apenas no primeiro semestre deste ano, 18% a mais que no ano passado. Os cartões de crédito registraram cerca de 534,4 bilhões de reais em transações aprovadas, isto é, responderam por aproximadamente 63% das transações. 

a volta da cpmf
Foto: (reprodução/internet)

Segundo dados do Serasa (Centralização de Serviços dos Bancos), a cada 17 segundos ocorre uma tentativa de fraude de cartão de crédito no Brasil, saiba como proteger-se.

CPMF

A Contribuição Provisória sobre a Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira (simplificada como Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira – CPMF) foi um tributo brasileiro. Sua esfera de aplicação foi federal e foi aplicada de 1997 a 2007.

CPMF e a ABECS

O presidente da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), Pedro Coutinho, relatou, na última quarta-feira, que a volta da CPMF pode afetar o crescimento no setor de cartão de crédito, mas que isso não diminuirá o uso.

ANÚNCIO

“A indústria deve encerrar o ano com mais de 1,8 trilhão de reais em transações, lembrando que no segundo semestre há datas importantes para o comércio, como dia das crianças e Natal, além de liberação de PIS / Pasep. Quiçá, veremos crescimento entre 17% e 19% – e não 17% como prevíamos anteriormente. Nesse sentido, representará algo como 27,5% do PIB brasileiro”, disse o presidente da Abecs. 

Para ele, a indústria do cartão já está bem firme no Brasil, não há motivos para a população regredir. Ele disse que a população não deve encher o bolso de dinheiro – fazer saques – para fazer compras, sendo que o cartão de crédito é uma opção bem mais prática. 

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), não calculou o quanto a nova medida pode afetar o setor. A CP (Instituição da Contribuição sobre pagamentos) será um dos pilares que o governo apresentará ao Congresso. A nova medida seria para compensar a perda de arrecadação na eliminação da folha de pagamento.

R$ 1,8 trilhão em 2019

A Abecs calculou cerca de 850 bilhões de movimentações no cartão de crédito apenas no primeiro semestre deste ano mas a estimativa é até o final do ano alcançar cerca de R$ 1,8 trilhões em transações feitas, mas os números ainda serão revisados e segundo especialistas ainda podem ultrapassar as expectativas. 

Ao fim de 2022 com isso a meta da Abecs é de que pelo menos 60% do consumo das famílias seja feito por meio de cartões entretanto no último ano o resultado ficou em 38% mas até o final deste ano a estimativa é de 43%. “Não seria nada anormal dizer que chegaríamos a 50% do consumo das famílias no fim do ano que vem” , disse o presidente da Abecs durante a entrevista.

De acordo com dados da associação, aproximadamente 45 milhões de brasileiros ainda não possuem conta no banco. O que influencia para que não tenham cartões de crédito/débito. Isso acontece, portanto, principalmente, porque as instituições exigem que o indivíduo possua uma conta vinculada ao banco.

Credenciadoras

Consideradas as duas maiores credenciadoras do Brasil, Cielo e Rede, representavam cerca de 94% na indústria de cartões, atualmente representam apenas 67%. Hoje, entretanto, existem, aproximadamente, 20 redes representantes no mercado. Entre elas, por exemplo, Cielo, Rede, Stone, Getnet e Pagseguro. A participação dos 5 maiores emissores diminuiu de 85% para 77%.

ANÚNCIO